PEGOU MAL: Museu do Holocausto de Israel reage a declaração de Bolsonaro sobre “perdoar” genocídio

Jair Bolsonaro começou mal o final de semana com relação à sua imagem no âmbito internacional. Neste sábado (13), após ser rechaçado pelo prefeito de Nova Iorque (EUA), o presidente brasileiro foi rebatido pelo Yad Vashem, conhecido como Museu do Holocausto de Israel, e recebeu uma indireta do presidente do país, Reuven Rivlin

O motivo das manifestações dos israelenses é a declaração dada por Bolsonaro esta semana durante um evento com evangélicos. Ele afirmou que “podemos perdoar o Holocausto”, mas não esquecer.

- Publicidade -

“Não é direito de nenhuma pessoa determinar se crimes hediondos do Holocausto podem ser perdoados”, diz a nota do museu, que é dedicado à memória dos mais de 6 milhões de judeus que foram assassinados pelos nazistas.

“Desde a sua criação, o Yad Vashem tem trabalhado para manter a lembrança do Holocausto viva e relevante para o povo judeu e a toda humanidade”, prosssegue o comunicado.

Pouco tempo depois, o presidente de Israel, Reven Rivlin, também se manifestou com uma indireta para Bolsonaro. No Twitter, escreveu: “Nós sempre iremos nos opor a aqueles que negam a verdade ou aos que desejam expurgar nossa memória —nem indivíduos ou grupos, nem líderes de partidos ou premiês. Nós nunca vamos perdoar nem esquecer”.

E prosseguiu: “O povo judeu vai sempre lutar contra o antissemitismo e a xenofobia. Líderes políticos são responsáveis por definir o futuro. Historiadores descrevem o passado e pesquisam o que aconteceu. Ninguém deve entrar no território do outro”.

Nazismo de esquerda

A fala de Bolsonaro sobre o Holocausto veio apenas dez dias após a visita que fez ao Museu que hoje o rebateu. Logo após conhecer o local, o presidente brasileiro reafirmou que o nazismo foi um movimento de esquerda.

A posição do capitão da reserva gerou revolta entre judeus, entidades judaicas e defensores dos direitos humanos ao redor do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.