Bolsonaro reunirá Mourão e ministros no Planalto para discutir situação da Venezuela




Vice-presidente informou que ministros da Defesa, do Itamaraty e do GSI participarão do encontro às 12h30 desta terça (30). Líder da oposição venezuelana diz ter apoio de militares. Mourão anuncia reunião no Planalto para discutir crise na Venezuela
O vice-presidente Hamilton Mourão informou que o presidente Jair Bolsonaro comandará nesta terça-feira (30), às 12h30, uma reunião no Palácio do Planalto para discutir a situação política na Venezuela. Desde o início da manhã, manifestantes saíram às ruas do país vizinho para pressionar pela queda do governo Nicolás Maduro.
Entenda a crise na Venezuela
Um dos principais líderes da oposição ao regime bolivariano, o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, divulgou nesta terça-feira, em uma rede social, um vídeo no qual declara ter obtido apoio de militares venezuelanos para pôr fim ao governo Maduro. Na gravação, Guaidó convocou a população a sair às ruas.
Quem é Juan Guaidó
Juan Guaidó cumprimenta um militar perto de uma base aérea em Caracas
Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Mourão e os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) participarão da audiência de emergência, que não estava prevista na agenda oficial de Bolsonaro.
Autoridades do governo venezuelano acusam a oposição de estar promovendo uma tentativa de golpe de Estado. Há registro de conflitos nas ruas venezuelanas, com disparo de bombas de gás contra a população nas ruas de Caracas por parte de forças policiais.
Guaidó afirmou em post em rede social que se encontra com as principais unidades militares das Forças Armadas e que deu início à fase final da chamada “Operação Liberdade”.
“O presidente vai fazer uma reunião meio-dia e meia sobre o assunto. … Acho que o pessoal do GSI, Ministério da Defesa vão colocar aí as informações que eles têm”, disse o vice-presidente ao chegar em seu gabinete.
Em vídeo, Juan Guaidó confirma apoio de militares e incita população a ir às ruas
O que aconteceu até agora
Presidente autoproclamado Juan Guaidó convoca população às ruas e diz ter apoio de militares;
Presidente Nicolás Maduro compartilha mensagem do presidente boliviano, Evo Morales, que fala em “tentativa de golpe de estado”;
Ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino, afirma que as forças armadas seguirão firmes “na defesa da Constituição nacional”;
Líder da oposição Leopoldo Lopez, preso em regime domiciliar, vai às ruas ao lado de Guaidó e também chama manifestantes para ato de apoio;
Diosdado Cabello, que comanda a Assembleia Constituinte pró-Maduro, convoca apoiadores do governo a se dirigirem para o palácio presidencial de Miraflores;
Policiais disparam bombas de gás contra manifestantes na capital, Caracas. Segundo TV estatal, eles tentam dispersar “golpistas”;
Secretário de estado dos EUA, Mike Pompeo, diz que governo norte-americano “apoia plenamente o povo venezuelano em sua busca por liberdade e democracia”.
Acompanhe ao vivo a movimentação na Venezuela
Transmissão ao vivo: Guaidó chama povo às ruas da Venezuela
Initial plugin text

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.