Papa pede à Bulgária que não feche olhos e corações aos imigrantes




Francisco visita o país cujo governo está construindo uma cerca de mais de 270 km na fronteira com a Turquia para impedir a entrada de sírios, afegãos e iraquianos que fogem da guerra. O papa Francisco é recebido na Bulgária por crianças vestindo roupas tradicionais em sua chegada na capital Sofia neste domingo (5)
Alessandra Tarantino/AP
O papa Francisco exortou as autoridades búlgaras a “não fechar seus olhos, coração e mãos” aos imigrantes, em discurso neste domingo (5), no primeiro dia de visita à Bulgária.
Francisco discursou no pátio do palácio presidencial em Sofia, após conversar com o presidente búlgaro, Rumen Radev, e lançou o apelo porque o país tem adotado uma política dura em relação à imigração
O governo búlgaro está construindo uma cerca de metal mais de 270 quilômetros na fronteira com a Turquia para impedir a entrada de sírios, afegãos e iraquianos que fogem da guerra.
O papa lembrou o fim do regime soviético e os milhões de búlgaros que foram tentar a vida em outros países.
Ele afirmou que a Bulgária tem de enfrentar “o fenômeno das pessoas que pretendem entrar por suas fronteiras, para escapar da guerra e da pobreza, e tentar chegar de qualquer maneira às regiões mais ricas do continente europeu”.
Um país que conhece o “drama da emigração”, afirmou Francisco, não deve fechar “os olhos nem o coração” para quem quer “encontrar novas oportunidades de existência ou simplesmente um refúgio seguro”.
O governo búlgaro se recusou no ano passado a assinar o Pacto de Migração das Nações Unidas, que Francisco sempre defendeu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui