Início Mundo Morador do DF é preso em Paris por crimes cibernéticos; operação envolveu PF e FBI

Morador do DF é preso em Paris por crimes cibernéticos; operação envolveu PF e FBI

por Portal Click Política




Homem é cidadão israelense e tem casa no Lago Sul. Segundo investigação, ele gerenciava plataforma na deep web, área ‘escondida’ da internet. Na casa do suspeito, policiais encontraram R$ 200 mil em espécie.
Polícia Federal/Reprodução
Um cidadão israelense, morador de Brasília, foi preso nesta segunda-feira (6) acusado de praticar crimes cibernéticos. Segundo as investigações, ele gerenciava uma plataforma na deep web – parte da internet de acesso restrito ou “escondida” – onde eram cometidas diversas transações criminosas.
O homem, que também responde por pornografia infantil, foi alvo da Operação Dark Web. A ação foi realizada em conjunto pela Polícia Federal e o FBI, agência de segurança dos Estados Unidos. A prisão ocorreu no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, na França.
Enquanto o homem era detido, policiais fizeram buscas na casa dele, no Lago Sul, região nobre de Brasília. No local, os agentes encontraram R$ 200 mil em espécie (moeda estrangeira e reais) e dispositivos usados no armazenamento de criptomoedas.
Casa onde o suspeito morava, no Lago Sul.
Polícia Federal/Reprodução
Investigações
Segundo as investigações, o israelense gerenciava um site que reunia os principais mercados ilegais da deep web.
A polícia afirma que a página era utilizada para educar usuários sobre compra de produtos e drogas online, oferecendo endereços e tutoriais com informações sobre como navegar anonimamente e evitar a ação da polícia.
O acusado seria remunerado por cada transação realizada pelo site, como a distribuição de drogas, medicamentos ilegais, ferramentas hacker, dados bancários, entre outras. As investigações apontaram ainda que o israelense recebeu taxas de transações feitas por cerca de 15 mil usuários.
A ação conjunta também apreendeu o domínio na internet utilizado nas práticas criminosas, para evitar que ele possa ser utilizado com o mesmo fim novamente.
A casa do suspeito já havia sido alvo de buscas em outubro de 2018, quando ele foi acusado de pornografia infantil. À ocasião, a Polícia Federal apreendeu R$ 1 milhão em espécie (moeda estrangeira e reais) no local, além de notebooks e smartphones.
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Deixe seu Comentário

Você também pode gostar

Deixe o Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência em anúncios, clique em aceitar para fechar esta janela. Aceitar