No mesmo dia, EUA executam dois condenados à morte por casos diferentes de assassinato




Os dois foram executados em casos diferentes: um no Tennessee e outro no Alabama. Governadores não atenderam aos pedidos de clemência. Michael Samra, no Alabama, e Donnie Johnson, no Tennessee, foram executados no mesmo dia por motivos diferentes
Alabama Department of Corrections via AP / Tennessee Department of Corrections/Handout via Reuters
Os Estados Unidos executaram nesta quinta-feira (16) dois detentos condenados à morte em casos diferentes de assassinato, nos estados do Tennessee e do Alabama.
No Tennessee, Donnie Johnson, de 68 anos, foi executado como pena por matar a própria esposa ao sufocá-la com um saco de lixo em 1984. A Justiça aplicou nele a injeção letal, principal método usado nos Estados Unidos.
Por passar mais de 30 anos no corredor da morte, houve protestos – principalmente de grupos religiosos – para que o governador local, Bill Lee, relaxasse a pena. Ele, no entanto, ignorou os pedidos.
Execução no Alabama
No outro caso, a Justiça do Alabama executou Michael Samra, de 42 anos. Ele foi condenado há 22 anos por matar uma família inteira – um casal e dois filhos. O motivo: uma briga pelo uso de uma caminhonete.
Familiares e advogados também pediram clemência à governadora do estado, Kay Ivey. Ela não aprovou o pedido.
A pena de morte é legalizada em 30 dos 50 estados norte-americanos. Em quatro deles, porém, os governos estaduais declararam moratória, ainda que a pena capital continue dentro da lei.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.