Início Mundo Boris Johnson é o favorito para suceder May entre os conservadores

Boris Johnson é o favorito para suceder May entre os conservadores

por Portal Click Política




Theresa May antecipou que estabelecerá calendário para processo de escolha do próximo líder conservador assim que submeter novamente à votação no parlamento o acordo do Brexit, o que deve acontecer no início de junho. Boris Johnson
Francois Lenoir/Reuters
O ex-ministro de Relações Exteriores Boris Johnson é o claro favorito para suceder a primeira-ministra britânica, Theresa May, segundo uma pesquisa entre filiados do Partido Conservador divulgada neste sábado (18).
May antecipou que estabelecerá um calendário para o processo de escolha do próximo líder conservador assim que submeter novamente à votação no parlamento o acordo do Brexit, o que deve acontecer no início de junho.
O candidato que vencer as primárias do partido assumirá também a chefia do governo britânico.
Johnson, que liderou a campanha a favor de deixar a União Europeia (UE) antes do referendo de 2016, obteria 39% dos votos dos filiados, segundo uma pesquisa elaborada pela YouGov para o jornal “The Times”.
O segundo candidato por ordem de preferência, com 13% dos apoios, é o ex-ministro do Brexit, Dominic Raab, que renunciou em novembro devido ao seu desacordo com o roteiro estabelecido por May para romper com o bloco comunitário.
O ministro de Interior, Sajid Javid, e o de Meio ambiente, Michael Gove, obteriam ambos 9%, segundo a pesquisa, enquanto o atual ministro de Exteriores, Jeremy Hunt, conseguiria 8% dos votos.
May espera apresentar durante a primeira semana de junho na Câmara dos Comuns o projeto de lei do Brexit, uma legislação que, se for aprovada, representaria na prática a ratificação do acordo sobre os termos de saída da UE estipulado com Bruxelas.
O parlamento já rejeitou três vezes esse pacto e as perspectivas de que vá aprová-lo agora se debilitaram esta semana depois que as negociações entre o governo e a oposição trabalhista para buscar novos apoios ao texto terminaram sem um acordo. EFE

Deixe seu Comentário

Você também pode gostar

Deixe o Comentário

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência em anúncios, clique em aceitar para fechar esta janela. Aceitar