Início Geral Haddad aposta que tribunais superiores não vão admitir as “trapaças” feitas por Moro

Haddad aposta que tribunais superiores não vão admitir as “trapaças” feitas por Moro

por Portal Click Política

Publicado originalmente no Brasil de Fato

Preso político desde abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu nesta terça-feira (11) a visita de seu advogado e ex-presidenciável Fernando Haddad (PT). Após encontro privado com Lula, Haddad analisou os desdobramentos da série de reportagens do portal The Intercept Brasil, que revelaram um conluio judicial contra o ex-presidente.

Em entrevista coletiva, Haddad mostrou-se confiante quanto à reparação da prisão sem provas e disse que observou essa mesma segurança em Lula. “Ele está seguro que, em seu caso, foi cometido um erro que vai ser reparado pelos tribunais superiores. O país precisa ter acesso a todo o material, e o importante é que ele não foi desmentido, quer dizer, os diálogos foram confirmados. Isso já é relevante”, ressaltou.

“Eu fiz uma visita de rotina como advogado do presidente Lula. Ele mantém a esperança – agora mais sólida – de que a verdade vai prevalecer e que as coisas vão se revelar aos poucos. E ele sabe que é um processo lento, que exige cautela e cuidado, mas está cada vez mais confiante de que toda a verdade a seu respeito vai ser revelada. E que sua inocência vai ser, ao final, comprovada”, acrescentou.

Segundo Haddad, a defesa do ex-presidente aguarda a divulgação completa do material para tentar viabilizar as medidas reparadoras e a responsabilização dos envolvidos. A parcialidade do atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, será julgada no Supremo Tribunal Federal (STF) no próximo dia 25.

“Haverá muitos momentos em que a reparação poderá ser feita, e esses fatos novos, evidentemente, colaboram com a nossa versão inicial dos fatos. Eu entendo que, a partir do momento em que tudo for revelado, vai ficar mais fácil para a opinião pública e para as cortes superiores tomarem a decisão reparadora desse enorme prejuízo causado à figura de um presidente da República”, disse o ex-ministro da Educação.

Ex-prefeito da cidade de São Paulo, Haddad também valorizou o legado de Lula no combate à corrupção e na defesa dos interesses do povo brasileiro: “Ele sabe que, como presidente, deu todas as condições para as instituições funcionarem em combate à corrupção, e isso é dito pelas próprias instituições. Ele foi o presidente que mais fez no sentido do fortalecimento dos instrumentos destinados ao combate à corrupção”.

Para o advogado, os indícios de parcialidade de Moro são anteriores aos vazamentos do último domingo (9). “A minha opinião é sobejamente conhecida. Eu penso que, desde a violação do sigilo da presidenta da República, Dilma Rousseff, não havia condições de sustentar o Moro no processo. Aquilo já foi um fato suficientemente grave. Infelizmente, aquilo não foi compreendido na sua gravidade e, agora, o que nós estamos vivendo é o desdobramento de medidas que deixaram de ser tomadas no momento oportuno”, criticou.

Deixe seu Comentário

Você também pode gostar

Deixe o Comentário

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência em anúncios, clique em aceitar para fechar esta janela. Aceitar