OS CRIMES DE MORO – “O país precisa ter acesso a todo o material”, diz Haddad

O ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, visitou Lula, nesta terça-feira (11), em Curitiba, na condição de um dos advogados do ex-presidente, e declarou: “O país precisa ter acesso a todo o material”.

Para Haddad, o primeiro passo a ser considerado é que as gravações não foram desmentidas. “Os diálogos foram confirmados, isso já é relevante. Mas vamos ter de aguardar a divulgação de todo o material, o que o site The Intercept prometeu fazer, até por dever jornalístico. Desse apanhado vamos levar para as instâncias julgarem”.

- Publicidade -

Em relação à sua posição sobre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, Haddad foi enfático: “Eu penso que desde a violação do sigilo da presidente Dilma Rousseff não havia condições de sustentar o Moro no processo. Aquilo já foi um fato suficientemente grave. Mas sempre há tempo para reparação”.

Sem surpresas

O ex-ministro e advogado revelou que Lula não ficou surpreso com o conteúdo das gravações envolvendo Moro e Deltan Dallagnol.

“De fato, ele tem a consciência absolutamente tranquila, que nunca pretendeu nenhuma vantagem, que ele exerceu o cargo de presidente da República com toda a lisura e que sempre prevaleceu em todas as decisões que ele tomou o interesse popular”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.