Míssil é apreendido em meio a arsenal de guerra da extrema direita na Itália




Míssil do Exército do Catar estava entre armas de diversos calibres apreendidas com italianos que lutaram ao lado de rebeldes pró-russos contra tropas ucranianas. Objetos de propaganda nazista também foram encontrados; três homens foram presos. Foto divulgada pela polícia de Turim na segunda-feira (15) mostra policiais carregando um míssil, apreendido junto com armas e munições de grupos de extrema-direita em operações que envolveram a colaboração das polícias de Milão, Varese, Forli e Novara.
HO/Polizia di Stato/AFP
Um arsenal que incluía um míssil ar-ar e várias armas de diferentes calibres foi apreendido nesta segunda-feira (15) com simpatizantes de extrema direita no norte da Itália – informou a polícia local.
A operação antiterrorista investigava italianos “de ideologia extremista” que lutaram ao lado de rebeldes pró-russos contra tropas ucranianas.
O míssil estava em perfeito estado e é de um modelo utilizado pelo Exército do Catar, de acordo com as informações oficiais.
Foto divulgada pela polícia de Turim na segunda-feira (15) mostra armas e munições apreendidas de grupos de extrema-direita em operações que envolveram a colaboração das polícias de Milão, Varese, Forli e Novara.
HO/Polizia di Stato/AFP
As autoridades encontraram também 20 sofisticadas armas, entre elas rifles de assalto automáticos de “última geração” e grande quantidade de munição e de objetos de propaganda neonazista.
Na ação, três pessoas foram detidas: Fabio Del Bergiolo, de 50 anos, ex-candidato do movimento neofascista Forza Nuova; um suíço, de 42; e um italiano, de 51, que estavam perto do aeroporto de Forli (nordeste). A polícia suspeita de que os homens estavam tentando vender o míssil.
Foto divulgada pela polícia de Turim na segunda-feira (15) mostra armas e munições apreendidas de grupos de extrema-direita em operações que envolveram a colaboração das polícias de Milão, Varese, Forli e Novara.
HO, Francesco Ammendola/Polizia di Stato/AFP
“Temos algumas ideias sobre o que queriam fazer com o material apreendido, mas não vamos divulgar suposições”, declarou o chefe da polícia de Turim, Giuseppe De Matteis.
“Até o momento, não há nada que nos leve a pensar em projetos subversivos”, destacou Eugenio Spina, integrante do sctor antiterrorismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.