Terrorista em fuga cometeu atentado perto de Universidade de Cabul




O objetivo do autor do atentado não era explodir a universidade, mas, no meio da fuga, ele detonou explosivos na estrada. Imagem do carro bomba que explodiu na Universidade de Cabul, no Afeganistão
Stringer/AFP
Um homem-bomba que escapava da polícia em um veículo carregado de explosivos cometeu um atentado perto da Universidade de Cabul, na capital do Afeganistão nesta sexta-feira (19).
Ele matou ao menos nove pessoas e feriu outras 33.
“A informação inicial mostra que o objetivo do ataque não era a universidade; o veículo estava sendo perseguido pela polícia e o agressor foi forçado a detoná-lo na estrada”, afirmou o porta-voz da polícia de Cabul, Firaraws Faramarz.
O ataque ocorreu às 7h10 (hora local), perto da entrada sul da universidade.
Segundo o porta-voz, está claro que foi um ataque suicida. Se não fosse pela pressão das forças de segurança, que impediram o insurgente de atingir o alvo de seu ataque, poderia ter sido mais mortal.
“Ainda investigamos quem pode estar por trás do ataque e qual era o objetivo”, disse Faramarz.
Entre as vítimas há um policial
O número de vítimas agora é de nove, incluindo o agressor, e o de feridos está em 33, de acordo com o último balanço fornecido em um comunicado do porta-voz do Ministério da Saúde Pública, Wahidullah Mayar.
Em comunicado posterior, o Ministério do Interior afegão explicou que entre as vítimas há um policial de trânsito e o resto das vítimas são civis, acrescentando que, de acordo com as informações iniciais, o dispositivo explosivo estava preso a um carro.
Até o momento nenhum grupo insurgente reivindicou a autoria do atentado.
O último grande ataque em Cabul ocorreu no dia 1º deste mês, quando pelo menos 11 pessoas foram mortas e 65 ficaram feridas, incluindo nove crianças, em uma operação do Talibã com bomba e um posterior tiroteio a um edifício do Ministério da Defesa.
Esse atentado aconteceu no meio das conversas entre uma delegação talibã e representantes dos Estados Unidos, no Catar, na sétima rodada de reuniões sobre negociações de paz para o Afeganistão.
Os dois lados buscam uma saída para quase duas décadas de conflito armado no país asiático, embora, até agora, os talibãs tenham se recusado a sentar-se à mesma mesa com o governo afegão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.