Traficante Marcelo Piloto vira réu por homicídio no Paraguai




Durante uma visita íntima, ele matou com 53 facadas a garota de programa Lidia Meza Burgos, de 18 anos, dentro de sua cela no presídio de Assunção. Imagens exclusivas mostram Marcelo Piloto em audiência no Paraguai e na chegada ao Brasil
Reprodução/TV Globo
O traficante Marcelo Fernando Pinheiro da Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, virou réu e teve mais uma prisão preventiva decretada pela Justiça Federal na última sexta-feira (16), por um homicídio cometido por ele no Paraguai.
O crime pelo qual Marcelo Piloto virou réu aconteceu em novembro do ano passado, quando o traficante estava preso em Assunção, no Paraguai.
Durante uma visita íntima, ele matou com 53 facadas a garota de programa Lidia Meza Burgos, de 18 anos.
O crime, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF), foi praticado por meio cruel e motivo fútil, no intuito de assegurar a impunidade dos crimes praticados no Brasil. O traficante acreditava que poderia adiar a extradição, deixando de cumprir as condenações pelos crimes praticados por aqui.
Apesar da articulação, o plano não deu certo. Um dia depois do crime, ele foi expulso do Paraguai por ordem do presidente do país e transferido para o presídio federal de Catanduvas, no Paraná.
No Brasil, Marcelo piloto tem uma extensa ficha criminal: Chefe do tráfico na comunidade de Manguinhos, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi condenado a mais de 38 anos por roubo e latrocínio. Cumpriu 10 anos, fugiu da prisão e ficou foragido por mais 10.
Ele continuou praticando crimes, como o resgate de um traficante em uma delegacia, fugiu do Brasil e se tornou o principal fornecedor de armas e drogas da maior facção criminosa do Rio.
Em 2017, Marcelo Piloto foi preso no Paraguai. Apesar de o crime ter sido cometido fora do país, Marcelo Piloto foi denunciado pelo Ministério Público federal à Justiça Brasileira, no Rio, onde o criminoso morava antes de fugir para o Paraguai.
Homicídio em cadeia do Paraguai
Marcelo Piloto matou a facadas a jovem de 18 anos dentro de sua cela no presídio em Assunção.
Lidia Meza Burgos visitava Marcelo Piloto pela segunda vez, segundo a polícia. Por volta de 13h50, o guarda que fazia ronda no pavilhão da prisão ouviu gritos vindos da cela de Piloto, e ao verificar, encontrou a mulher caída no chão, ensanguentada. Ela foi encaminhada para atendimento médico, mas não resistiu.
De acordo com o promotor, Marcelo Piloto teria matado a jovem utilizando uma faca de mesa. O corpo de Lidia está sendo submetido a autópsia; informações preliminares dão conta de que teriam sido 16 golpes.
Autoridades do Paraguai dizem que traficante brasileiro matou jovem em penitenciária

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.