Irã limita contatos familiares de ativista britânico-iraniana presa




Nazanin Zaghari-Ratcliffe só pode ver filha de cinco anos uma vez por mês e não tem mais autorização para telefonar para o marido. Diretora de projetos da Thomson Reuters Foundation foi presa em 2016, quando visitava os pais em Teerã e foi acusada de tramar contra o governo iraniano. Nazanin Zaghari-Ratcliffe foi presa em aeroporto de Teerã em 2016
Arquivo pessoal
Autoridades do Irã restringiram os contatos da ativista humanitária britânico-iraniana Nazanin Zaghari-Ratcliffe com sua filha a um por mês e a proibiram de ligar para o marido, noticiou a rede BBC nesta terça-feira (20).
“Richard Ratcliffe disse que, com as novas regras, ela não pode fazer ligações internacionais para ele em Londres – e só pode ver a filha de cinco anos uma vez por mês”, disse a BBC.
O jornal britânico “The Guardian” disse que antes Nazanin podia ver a filha, que mora com os avôs no Irã, a cada poucos dias na prisão.
Não surgiram reportagens ou comentários de imediato sobre o caso no Irã.
Nazanin, diretora de projetos da Thomson Reuters Foundation, foi presa em 2016 num aeroporto de Teerã quando voltava para o Reino Unido com a filha após uma visita familiar, e depois foi condenada por tramar para depor o establishment clerical iraniano e sentenciada a cinco anos de prisão.
Sua família e uma instituição de caridade que a defendem, e que opera independentemente da Thomson Reuters e da Reuters News, negam a acusação.
Ratcliffe disse que no sábado sua esposa foi reconduzida à prisão depois de receber alta de um hospital, onde esteve devido a uma greve de fome, segundo a BBC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.