Globo já vê Moro fora do governo e como candidato de oposição a Bolsonaro em 2022

A intervenção de Jair Bolsonaro em órgãos de controle como Receita Federal, Coaf e Polícia Federal pode tornar insustentável a posição de Sergio Moro no governo federal. Com isso, ele pode vir a ser um candidato de oposição ao palácio do Planalto, em 2022, na opinião do colunista Merval Pereira, da Globo – grupo de mídia que liderou a campanha pela prisão política do ex-presidente Lula e que mantém apoio incondicional a Moro. Confira, abaixo, um trecho de sua análise política, publicada nesta quinta-feira:

O comando de Dória entre os tucanos está sendo contestado, com a maioria do diretório nacional discordando da tentativa de expulsão do deputado Aécio Neves.

- Publicidade -

É previsível que o PSL aumente sua bancada, fortalecendo o bloco da extrema direita. PT e o bloco formado por PDT, Solidariedade, Podemos, PCdoB, PROS, Avante, PV e DC podem se unir parcialmente, embora o PDT pretenda ser o líder da oposição em substituição ao PT. O PSOL pode vir a ocupar esse lugar, tendo uma atuação independente do PT.

Essas movimentações partidárias já trazem embutidas as eleições presidenciais de 2022. As esquerdas têm no momento dois potenciais candidatos: o do PT e Ciro Gomes. A extrema direita tem Bolsonaro e a caneta BIC presidencial. Resta à centro-direita encontrar um candidato que seja mais competitivo do que foi Alckmin em 2018.

Dória claramente já se colocou na linha de partida, e Rodrigo Maia pode ser seu vice. Ou Sérgio Moro, candidato potencial à presidência, ou reforço à chapa como vice. A característica das candidaturas é que muda de acordo com as nuvens políticas.

De possível candidato de Bolsonaro à presidência, ou um vice mais forte que o General Mourão, Moro pode vir a ser candidato de oposição. O governador paulista João Dória já lhe ofereceu abrigo em seu secretariado caso sua situação fique insustentável no governo Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui