TORON, “anulação de sentença de Moro é recado à Lava Jato: fins não justificam os meios”

O criminalista Alberto Zacharias Toron, advogado de Aldemir Bendine, afirma que a anulação de sentenças da Lava Jato pelo Supremo Tribunal Federal (STF) é um recado da Corte às arbitrariedades de juízes da Lava Jato.

“É uma importante decisão. É a primeira. Marca a observância dos princípios constitucionais da legalidade e do devido processo legal”, afirma Toron. “É um recado: os fins não justificam os meios”, completou.

- Publicidade -

O STF anulou a sentença expedida pelo ex-juiz Sergio Moro contra Bendine, condenado no ano passado a 11 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. A razão foi a violação de um princípio processual, já que durante o processo, Bendine não foi ouvido na fase correta da instrução penal, o que prejudicou o direto à ampla defesa e ao contraditório.

“Em primeiro lugar, o ministro Gilmar Mendes reforçou a omissão das cortes – entre elas o Supremo Tribunal Federal – no controle das ilegalidades promovidas pela Operação Lava Jato”, apontou Toron. “Neste caso, tanto Gilmar Mendes quanto os ministros Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia enfatizaram que era inadmissível que as alegações finais do réu fossem apresentadas ao mesmo tempo em que delatores continuavam a apresentar acusações. Aconteceu uma clara violação do direito ao contraditório”, disse o criminalista.

A decisão leva o processo novamente para a 1ª instância, no Paraná, cabendo ao juiz federal Luiz Antônio Bonat, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, reavaliar a ação penal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.