Bahamas se preparam para possível ciclone tropical dias após devastação causada pelo furacão Dorian




O arquipélago caribenho ainda lida com as consequências do furacão, que chegou ao país há 12 dias e deixou 50 mortos, além de 1,3 mil desaparecidos. Homem conserta dano no telhado de casa na quinta-feira (12) em Gold Rock Creek, na ilha de Grand Bahama, depois da passagem do furacão Dorian pelas Bahamas.
Ramon Espinosa/AP
Um possível ciclone tropical ameaça atingir as Bahamas nesta sexta-feira (13), informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) em Miami, nos Estados Unidos. O arquipélago caribenho ainda lida com a devastação causada pelo furacão Dorian, que chegou ao país há 12 dias e deixou 50 mortos, além de 1,3 mil desaparecidos.
O centro americano informou que há uma alta probabilidade de que o ciclone traga ventos fortes e chuvas torrenciais ao noroeste das Bahamas e a partes da costa leste da Flórida nesta sexta (13) e ao longo do fim de semana.
Os especialistas também alertam para a possibilidade de chuvas fortes e inundações rápidas e espalhadas por parte da costa da Geórgia e Carolina do Sul, e, a depender da rota da tempestade, também da Carolina do Norte, na semana que vem.
Nas ilhas caribenhas, o ciclone deve complicar ainda mais a busca pelos desaparecidos. O número, inicialmente, chegou a 2,5 mil pessoas, mas após checagem foi reduzido para 1,3 mil. A quantidade de vítimas fatais, entretanto, deve aumentar, afirmou o chefe de polícia do arquipélago, Anthony Ferguson.
“Segundo a informação que recebi e a minha experiência, há centenas de pessoas mortas”, declarou na quarta-feira (11) o ex-premier Hubert Ingraham, citado pelo jornal Nassau Guardian.
Cerca de 70 mil pessoas ficaram desabrigadas e precisam de “assistência vital imediata” nas Bahamas, segundo levantamento das Nações Unidas. As necessidades mais urgentes são comida, água, abrigo e remédios. O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, viaja nesta sexta (13) ao país para expressar solidariedade às vítimas do furacão.
“A comunidade internacional deve aumentar o apoio para o povo das Bahamas e seu governo”, disse Guterres.
Durante a visita o secretário-geral vai se encontrar com o primeiro-ministro, Hubert Minnis, e outros funcionários do governo em Nassau.
O consulado das Bahamas em Washington e várias organizações humanitárias iniciaram campanhas de ajuda às vítimas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.