Arábia Saudita corta produção de petróleo após ataques de drones, dizem sites




Com incêndios em duas grandes instalações, a petroleira Aramco cortou a produção para cinco milhões de barris por dia, segundo a Bloomberg. Fumaça é vista após um incêndio nas instalações da Aramco em Abqaiq, na Arábia Saudita, neste sábado (14)
Reuters
A produção de petróleo da Arábia Saudita foi cortada pela metade, após duas grandes instalações da petroleira Aramco terem sido atacadas por drones neste sábado (14), segundo os sites de notícias Bloomberg e Wall Street Journal.
Imagens mostraram um grande incêndio em Abqaiq, onde fica a maior fábrica de processamento de petróleo da Aramco, enquanto um segundo ataque de drones iniciou incêndios no campo de petróleo de Khurais.
A fumaça podia ser vista do espaço. Porém, as chamas já foram controladas nas duas instalações.
Rebeldes iemenitas houthis, que são apoiados pelo Irã, disseram ter mobilizado 10 drones para fazer o ataque.
Segundo a Bloomberg, a Aramco decidiu cortar a produção de petróleo para cinco milhões de barris por dia –quase metade da produção diária do país– como precaução após o ataque.
Ainda de acordo com a agência de notícias, a empresa afirma que o restante da produção deve ser restaurada em 48 horas.
Ataques com drones em refinaria de petróleo na Arábia Saudita
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ao príncipe da Arábia Saudita Mohammed bin Salman que os EUA está pronto para cooperar com a segurança do reino após ataques, afirmou a agência estatal de notícias saudita, a SPA.
Trump também disse a Salman durante conversa por telefone que os ataques contra o país tiveram impacto negativo na economia global e na dos EUA. Segundo a Bloomberg, a Casa Branca não respondeu aos pedidos de comentário.
Imagem de satélite deste sábado (14) mostra fumaça provocada por incêndios após ataque de drones na Arábia Saudita
NASA Worldview/ AP
Guerra no Iêmen
Os ataques dos rebeldes houthis do Iêmen contra alvos sauditas são comuns e fazem parte da guerra que vem ocorrendo há anos no país. A Arábia Saudita apoia o governo iemenita liderado por Abd-Rabu Mansour Hadi, que enfrenta a oposição do movimento Houthi, alinhado com o Irã. O conflito já matou dezenas de milhares de pessoas e deixou milhões à beira da fome.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.