CONFUSÃO: Após saída de senadora do PSL, Major Olímpio pede expulsão urgente de Flávio Bolsonaro do partido; CONFIRA!

Depois de ameaçar deixar o partido por alegar “decepções com o governo”, dessa vez o senador Major Olímpio (PSL-SP) pediu a saída do filho do presidente, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). O motivo estaria ligado à divergências em torno da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pretende investigar membros do Supremo Tribunal Federal (STF), que ficou conhecida como CPI da “Lava Toga”, promovida por setores do bolsonarismo. Informação é de Marianna Holanda, do Estado de S.Paulo.

No entanto, tanto o presidente da legenda, Luciano Bivar, quanto o senador Flávio Bolsonaro estariam pedindo que parlamentares retirassem seus nomes da solicitação de abertura da CPI em prol da “governabilidade”. Irritado, Major Olímpio disse que somente ele e a senadora Selma Arruda, conhecida como “Moro de saias” e que pediu para sair do PSL recentemente, são exemplos de “bandeira anticorrupção” no partido.

- Publicidade -

“Nós que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Selma Arruda, de saída para o Podemos) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse.

Apesar de sua colocação, o senador não deve entrar no Conselho de Ética do PSL contra Flávio, por avaliar que ele não tenha ferido nenhuma regra. “Só trazer muita vergonha a nós”, completou.

Olimpio foi o principal articulador da expulsão do deputado federal Alexandre Frota (PSDB) da sigla em agosto deste ano. A situação entre os dois começou a ficar insustentável quando Frota passou a criticar no Twitter o seu ex-colega de partido, fazendo com que o senador entrasse com um processo por danos morais contra o deputado, além de acionar o comitê de ética do partido em busca de retaliação.

Depois de toda a articulação dentro do partido, Frota foi expulso a pedido do próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL). Logo em seguida, filiou-se ao PSDB, a convite de João Doria.

Click Política

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui