Bolsonaro diz que em seu governo, livros terão “menos escrita” e volta à criticar método de Paulo Freire; VEJA!

Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (3), que os livros didáticos precisam mudar. Para ele, os volumes têm “muita coisa escrita” e que é preciso “suavizar”. Além disto, a partir do momento em que forem feitos por sua gestão, em 2021, os livros irão conter a bandeira do Brasil e o hino nacional.

“Tem livros que vamos ser obrigados a distribuir esse ano ainda levando-se em conta a sua feitura em anos anteriores. Tem que seguir a lei. Em 21, todos os livros serão nossos. Feitos por nós. Os pais vão vibrar. Vai estar lá a bandeira do Brasil na capa, vai ter lá o hino nacional. Os livros hoje em dia, como regra, é um amontoado… Muita coisa escrita, tem que suavizar aquilo”, disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

- Publicidade -

Bolsonaro aproveitou também para criticar mais uma vez o educador Paulo Freire: “Falando em suavizar, estou vendo um cabeça branca ali, estudei na cartilha Caminho Suave. Você não esquece. Não esse lixo que, como regra, está aí. Essa ideologia de Paulo Freire. O cara ficou 10 anos e a garotada de 15 anos foi fazer a prova do Pisa e mais da metade não sabe fazer uma regra de três simples”.

Click Política com informações do Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui