Se ligue nos links (4 de janeiro)




Em foto de 2016, Qassem Soleimani, chefe da Guarda Revolucionária Iraniana, participa de um reunião em Terrã, no Irã
Office of the Iranian Supreme Leader via AP, Arquivo
1) O ataque que matou o general iraniano Qassem Soleimani, anunciado pelo Departamento de Defesa americano, poderá dar origem a um conflito aberto entre Irã e Estados Unidos, segundo análise do Atlantic Council. No Washington Post, Adam Taylor explica por que o Iraque está no centro da disputa entre os dois países. Também no Post, Claire Parker e Rick Noack descrevem a rede de milícias, grupos paramilitares e terroristas estabelecida e teleguiada à distância por Soleimani. O Post e o New York Times trazem perfis de Soleimani – o primeiro perfil a chamar a atenção para ele foi Dexter Filkins em 2013 na New Yorker.
Nesta sexta (3), manifestantes foram às ruas de Teerã para protestar contra o ataque que matou o general Qassem Soleimani
Vahid Salemi/AP
2) Michael Doran no Times e Rashad Ali no Conservative Home mostram por que, apesar da comoção nas ruas de Teerã, tantos comemoram a morte de Soleimani. No Guardian, Mohammad Ali Shabani argumenta que o assassinato voltará a assombrar Donald Trump. Na New Yorker, Robin Wright analisa as consequências e o preço da morte de Soleimani para o equilíbrio frágil da região. Na Atlantic, Grame Wood formula as duas questões-chaves depois do ataque: “e agora?” e “por que agora?”.
3) O International Crisis Group alertou para o risco da escalada nas tensões antes da ação americana. No Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais (Csis), Anthony Cordesman demonstra como a falta de estratégia levou os americanos a perder o Iraque e o Golfo Pérsico. Um relatório do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos (IISS) revela em detalhes como o Irã, ao contrário, refinou seus objetivos estratégicos e sua capacidade militar
Membros da Anistia Internacional e apoiadores participam da Marcha das Mulheres, em Washington, no dia 21 de janeiro de 2017
Anistia Internacional
4) Num levantamento de 200 páginas, o ativista David Collier critica o viés anti-Israel nas atividades da Anistia Internacional.
Tabela Periódica Interativa é uma das atrações do Centro de Ciências da UFJF
Ciro Cavalcanti/Divulgação
5) Na New Yorker, Neima Jahromi conta a história dos elementos da tabela periódica.
O escritor britânico V.S. Naipaul em foto de 2001 em Salisbury, na Inglaterra. Ele morreu aos 85 anos em sua casa em Londres, neste sábado (11)
Chris Ison/PA via AP/Arquivo
6) Em texto póstumo publicado também na New Yorker, o escritor britânico ganhador do Nobel V.S. Naipaul fala sobre o luto.
Público em Nova York aguarda a chegada de 2020
Amr Alfiky/Reuters
7) No WaitButWhy, Tim Urban afirma que o futuro já chegou, agora que todos vivemos nos anos 20.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui