Governo de Maduro anuncia vitória em eleição no Congresso Nacional; oposição denuncia golpe




Luis Parra, deputado pró governo de Nicolás Maduro, é eleito o novo chefe do Congresso venezuelano. Juan Guaidó afirma ter sido impedido de participar da votação. Juan Guaidó tenta entrar na Assembleia Nacional venezuelana durante votação neste domingo (5)
AP Photo/Matias Delacroix
O deputado Luis Parra, aliado do governo de Nicolás Maduro, foi empossado como o novo chefe do Congresso Nacional da Venezuela neste domingo (5). A oposição, liderada pelo autodeclarado presidente Juan Guaidó, acusa a votação de “golpe no parlamento”.
A oposição afirma que a votação não teve votos ou quórum necessário porque Juan Guaidó e os parlamentares contrários a Maduro foram impedidos de entrar na Assembleia Legislativa no momento do pleito.
Pelo Twitter, Guaidó afirmou durante a tarde do domingo que ele e demais parlamentares da oposição estava sendo impedidos por policiais e militares de entrarem no Palácio legislativo no momento da votação.
“Caso haja dúvidas de que a Venezuela viva uma ditadura: oficiais militares tentam impedir que os deputados cumpram seu dever de defender os venezuelanos, o povo que eles também juraram proteger”, escreveu Guaidó.
Guaidó acusa governo de Maduro de impedir sua entrada na Assembléia Legislativa da Venezuela durante votação.
Redes sociais/Reprodução
A oposição também afirma que o governo de Maduro teria oferecido malas de dinheiro para parlamentares votarem contra Guaidó, que é o atual presidente do parlamento e buscava uma reeleição para a gestão de 2020-2021.
Os EUA acusaram o governo de Maduro de “ir contra a vontade do povo e das leis” minutos após Luis Parra ser anunciado o novo presidente do Congresso venezuelano, segundo a Reuters.
Embate
Uma reeleição de Guaidó como líder do Congresso permitiria que a oposição continuasse pressionando pela saída de Maduro.
“Nem a ditadura ou o aparato repressivo do Estado podem decidir quem entra”, disse Guaidó, ao lado de uma barricada da polícia a um quarteirão do Congresso, de acordo com a Reuters. Ele disse que não entraria no palácio legislativo até que todos possam entrar também.
No começo da tarde, vários congressistas disseram, ainda segundo a Reuters, que não haviam conseguido entrar no Congresso. Perto do fim da sessão, os parlamentares conseguiram chegar ao plenário e, aos gritos, tentavam impedir a votação.
A televisão estatal venezuelana mostrou imagens de parlamentares socialistas passando sem problemas pelos cordões de segurança.
Maduro classifica Guaidó como um fantoche dos Estados Unidos e diz que os problemas econômicos do país são decorrência das sanções de Washington, que proíbe que empresas norte-americanas comprem petróleo do país ou façam negócios com o governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.