Harvey Weinstein é indiciado por novas acusações de agressões sexuais




Ele entrou na Suprema Corte de Manhattan com a ajuda de um andador. Harvey Weinstein chefa ao tribunal de Nova York para julgamento de casos de agressão sexual. Juri começa nesta segunda-feira (6)
AP Photo/Seth Wenig
Julgamento do ex-produtor de cinema Harvey Weinstein começa nos EUA
Harvey Weinstein foi indiciado por novas acusações de crimes sexuais em Los Angeles, assim que seu julgamento por acusações de estupro e agressão sexual em Nova York estava prestes a começar, disseram promotores.
O julgamento contra o ex-produtor americano de cinema começou nesta segunda-feira (6). O magnata de Hollywood foi acusado de estuprar uma mulher e agredir sexualmente outra em incidentes separados por um período de dois dias em 2013, disse a promotora do condado de Los Angeles, Jackie Lacey, em um comunicado à imprensa.
“Acreditamos que as evidências mostrarão que o réu usou seu poder e influência para ter acesso às vítimas e depois cometer crimes violentos contra elas”, disse Lacey.
“Quero elogiar as vítimas que se apresentaram e relataram bravamente o que aconteceu com elas. Espero que todas as vítimas de violência sexual encontrem força.”
Weinstein pode ser condenado a no máximo 28 anos de prisão estadual se for considerado culpado por estupro forçado, sexo oral forçado e penetração pelo uso da força. Os promotores recomendarão uma fiança de US$ 5 milhões.
Produtor chegou com andador
Weinstein entrou na Suprema Corte de Manhattan com a ajuda de um andador. A audiência acontece mais de dois anos depois da explosão do escândalo que gerou o movimento #MeToo e derrubou dezenas de homens poderosos denunciados por agressões sexuais.
Se for considerado culpado, Weinstein pode ser condenado à prisão perpétua.
Weinstein foi acusado por mais de 80 mulheres, incluindo várias celebridades, de agressões sexuais ao longo de vários anos, desde casos de assédio até estupro.
De acordo com a CNN, a sentença pode sair só em março. A expectativa é que o julgamento dure duas semanas, seguidas de oito semanas de argumentos, depoimentos e deliberações.
O julgamento do produtor deveria ter acontecido em setembro de 2019, mas foi adiado após uma terceira pessoa aceitar testemunhar contra ele, além das duas mulheres que o acusam ante a justiça.
Julgamento adiado
Sciorra acusou Weinstein em outubro de 2017 em um artigo da revista The New Yorker de tê-la estuprado em 1993, na casa da atriz em Manhattan. Sciorra está disposta a testemunhar “sob juramento”, disse Allred em um comunicado.
A advogada Gloria Allred confirmou que a promotoria pediu a sua cliente Annabella Sciorra, atriz da série da HBO “Família Soprano”, que fosse testemunha no julgamento contra Weinstein.
Em agosto de 2019, o produtor de 67 anos, mais uma vez, se declarou inocente diante da nova acusação apresentada pelo promotor de Manhattan durante uma audiência de 15 minutos no tribunal do estado de Nova York.
Ex-produtor de cinema Harvey Weinstein é julgado por agressões sexuais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui