ADMITIU: Durante encontro do MBL, Gilmar Mendes assume que impeachment foi golpe, “Solução para crise”

5

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes disse neste sábado (19) que o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff foi uma “uma solução institucional absolutamente normal para o quadro de crise grave que nos acometeu”. A fala foi dita durante o 2º Congresso do MBL (Movimento Brasil Livre)

O ministro também defendeu a atuação do TCU (Tribunal de Contas da União) no caso -a corte reprovou as contas de 2014 de Dilma, reforçando a tese de que a então presidente deveria ser retirada do cargo por descumprir a lei de responsabilidade.

“O Tribunal de Contas soube apreender bem isso. O nome bem humorado – pedaladas fiscais – parece traduzir um pecado venial”, disse Gilmar. “Mas não é disso que se cuida, obviamente, quando se passa a usar recursos de bancos controlados pelo Estado sem um empréstimo formal, que é proibido, para satisfazer as despesas excessivas que já não podiam ser cobertas pelas receitas regulares”, acrescentou.

O ministro disse ainda que o impeachment o deixou com um “duplo sentimento” de felicidade -pelo Brasil ter “conseguido superar essa grave situação de desordem institucional”- e de frustração -porque “demoramos muito para identificar essas mazelas”. “É aquele sentimento de copo meio cheio que também está meio vazio”, explicou.

Gilmar foi ovacionado pela plateia quando rebateu a tese de que o impeachment da ex-presidente Dilma foi um golpe.

“Dada a não atualização da lei do crime de responsabilidade, que é de 1952, praticamente todo o processo de impeachment foi regulado pelo Supremo Tribunal Federal”, afirmou. “O que faz parecer absurdo dizer-se que o Supremo compactuou com qualquer propósito de golpe, especialmente o Supremo, que hoje tem no seu quadro oito juízes indicados pelo governo petista de Dilma e por Lula”, defendeu.

O ministro também arrancou aplausos e risadas da plateia do MBL ao defender a responsabilidade fiscal.

“Às vezes eu digo que o Brasil é um país psicodélico. A ideia de que nós não devemos gastar mais do que arrecadamos parece algo óbvio nas nossas casas. Isso não é de esquerda nem de direita, mas isso se tornou um discurso de que quem faz isso é neoliberal. É algo extremamente extravagante.” Com informações da Folhapress.

você pode gostar também Mais do autor

5 Comentários

  1. Edvaldo Diz

    Pendencias históricas de moradia, no Brasil, com pessoas deitadas no chão, debaixo de chuva, sem abrigos, um governo gasta para lidar com a questão. a mesma, sobre tal argumento,, ? !, é afastada do cargo, maior. Esperar o que do Brasil. Sobre, mais, o mundo todo. publicações, são fartas, na imprensa.

  2. Marciano sousa Diz

    as pessoas falam q a presidente dilma gostou muito dinheiro…..a corrupção causa ao Brasil um prejuiso de 500 bilhões por ano ..e pago pro judiciário brasileiro 90 bilhões por ano a despesa com um único deputado federal chega a 120 mil por mês …. um preso custa ao pais 4mil reais por mes …..e muito dinheiro desperdiçado…ainda falta muita coisa

  3. Angélica cajuí Bonfim Diz

    O impeachment não resolveu o problema do Brasil. Isso é notório. Se o congresso não deixava Dilma trabalhar por questões óbvias e que agora estão escancaradas. Até o momento nada foi feito de concreto para que a economia volte a crescer e que os milhões de desempregados vejam a possibilidade de voltar ao mercado de trabalho. O que fizeram até agora foi tirar de quem tem menos para favorecer aos que já são favorecidos, tirar os direitos dos trabalhadores e sobrecarregar quem já vive sobrecarregado. Pra eles as regalias. Pra o povo o desemprego, a saúde precária e a insegurança.

  4. Doralice Pereira Santana Diz

    O impeachment foi merecido. A mesma estava gastando fora do normal. Só porque determinados valores estavam explícitos no orçamento da união, ela achou normal esses valores serem manipulados em projetos sociais, enquanto a cadeia produtiva, a qual emprega e trás desenvolvimento não crescia, devido o desarranjo da economia. Que a Polícia Federal vá até o fim e bote na cadeia o chefe maior, o qual entrou para governar dizendo que ia acabar com a corrupção e no entanto se tornou o maior incentivador dos desvios que acabou com a maior empresa do Brasil.

  5. LUIZ C. B. DE FREITAS Diz

    Não se deve gastar do que se ganha é uma verdade. Mas também é uma verdade que numa situação de elevado custos ocorridos em determinado período, acima da renda, é possivel normalizar a situação com recursos de financiamento, cujas prestações futuras podem ser perfeitamente pagas com a receita futura. LÓGO TOMAR EMPRESTIMOS PARA RESOLVER PROBLEMAS DE DEFICIT DE CAIXA É ALGO PERFEITAMENTE POSSÍVEL E VIÁVEL. SE A DILMA ASSIM PROCEDEU NÃO HÁ PORQUE INCRIMINA-LA COM UMA PENALIDADE MÁXIMA PELO CONGRESSO.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.