Aragão informa a Alemanha que Moro é criminoso; ENTENDA!

3

CONJUR – CONSULTOR JURÍDICO
O ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, acusou o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da operação “lava jato”, de ser um criminoso. Em mensagem enviada ao professor alemão Markus Pohlmann, cuja universidade (de Heidelberg) recebeu o juiz para uma palestra, Aragão afirma que “Moro é um criminoso, também sob a perspectiva alemã. Ele se tornou punível quando violou sigilo funcional, para não falar em prevaricação”.

O e-mail do ex-ministro foi enviado junto com uma carta, assinada por 28 professores de Direito, História e Ciência Política, que questiona o fato de a Universidade de Heidelberg convidar Moro para falar sobre combate à corrupção. O evento ocorreu na última sexta-feira (9/12), mas a carta foi enviada no dia 6. O documento elenca acusações contra o juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Além de citarem que Moro determinou a ilegal condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para depor e vazou, “criminosamente”, gravações de conversas entre Lula e a então presidente Dilma Rousseff, os professores dizem que o juiz viola a Constituição, leis e a soberania nacional, entregando informações à Justiça dos Estados Unidos, “com quem dialoga frequentemente, sobre andamento de processos brasileiros, permitindo que réus brasileiros firmem acordo de colaboração com a justiça dos EUA, em detrimento do interesse das empresas nacionais brasileiras”.

O documento, no entanto, não fica só no campo do Direito, atacando também o juiz pelo viés político de sua atuação: “Articulado com poderosos barões da mídia brasileira, Sergio Moro, o Poder Judiciário e o Ministério Público Federal conseguiram derrotar a democracia brasileira; conseguiram instalar no Brasil o clima político de fascismo e intolerância política”. Ainda segundo a carta, a condução da “lava jato” foi decisiva para a queda da presidente Dilma, em um golpe iniciado em maio de 2016.

O professor Pohlmann respondeu, no dia 7 de dezembro, agradecendo pelos comentários, mas afirmou que a conferência da qual Moro participaria tinha o propósito científico de discutir a corrupção e o combate à corrupção, sem quaisquer interesses políticos. “Embora saibamos que o lado político do processo é altamente controverso, queremos ouvir sobre a luta contra a corrupção no campo da economia”, afirmou o alemão.

Foi então que Aragão, em resposta, comparou Moro a um gatuno. “Não consigo imaginar que o senhor convidasse como conferencista um gatuno, para que expusesse a seu honrado público, friamente, sob a perspectiva científica, seu procedimento de gatunagem.” E rogou que a Alemanha não premiasse e honrasse um dos causadores do caos que abala o país, em vez de repudiá-lo.

você pode gostar também Mais do autor

3 Comentários

  1. Paulo Fernando da Silva Gonçalves Diz

    Este idiota do tal de aragão que pensei ser o ex-juiz fe futebol só pode ser ptralha. Falar que o ilibado juiz Sérgio Moro é um gatuno, é um absurdo abominável e inacreditável. O juiz Moro é um oasis de credibilidade dentro do judiciário brasileiro onde temos juizes sem prurido que julgam e decidem por interesses escusos.
    Querer denegrir a imagem do Moro denota uma inveja notória pois, quem não gostaria de estar na posição de destaque mundial que ele conquistou com seu trabalho em prol de um Brasil mais justo e digno. Francamente…..

    1. Placido Borges Campos Diz

      A palavra dignidade não existe quando odiamos uns em detrimentos de outros. Da maneira que escreve já deu para entender seu nível de lógica, limitada.

  2. Cícero felix da Silva Diz

    Todos sabem que moro sempre apóio os tiranonos traidores Serra Aécio líder do elicoca FHC e a bandidagem toda principalmente o tirano Renan Calheiros que sangrou o supremo desmoralizou o bando do cajado preto vergonha nacional…..

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.