Boulos é solto depois de 10 horas de detenção e diz que prisão foi um ato político; CONFIRA!

0

O líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, criticou a ação da Polícia Militar e disse que a prisão teve “o intuito de intimidar o MTST e a luta dos movimentos populares”.

“Isso é notório. Cada vez mais há uma tentativa de desmoralizar os movimentos”, disse. “Quero dizer que não vão conseguir nos intimidar. A luta só vai crescer, só vai aumentar a cada gesto fascista, a cada gesto ilegal, abusivo, como essa prisão de hoje”, avisou.

Ele disse ainda que foi preso por “incitação à violência, por desobediência e por outros crimes”. “Acabei sendo indiciado por resistência. Para mim, resistência não é crime. Crime é despejar 700 famílias sem ter alternativa, resistência é uma reação legítima das pessoas contra uma barbaridade como esta”, rebateu.

A reintegração de posse foi pedida pelo prefeito João Doria (PSDB) e realizada pela Tropa de Choque do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Um membro da Tropa de Choque justificou a prisão o ativista: “Temos horas de filmagens suas de outras manifestações e ocupações e sabemos que você é liderança, você está detido por desacato, obstrução da via, obstrução da justiça e incitação de violência”, disse o militar.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.