Desempregados com diplomas recorrem à vagas de faxineiros e recepcionistas; VEJA!

1

A crise na economia brasileira provocou uma retração nas vagas com qualificação mais elevada e empurrou pessoas com formação superior para empregos que exigem menos formação. Faxineiro foi, por exemplo, a sexta profissão que mais gerou vagas com carteira assinada para profissionais com ensino superior completo em 2015, em relação a 2014. Das 30 ocupações que mais criaram emprego nessa faixa de escolaridade no ano passado, pelo menos 11 não exigem alta qualificação, como assistente administrativo, auxiliar de escritório, vendedor no comércio e recepcionista. As informações são da Folha de S.Paulo.

“Os dados foram levantados pela Folha na Rais (Relação Anual de Informações Sociais), que traz informações sobre mais de 2.500 ocupações no mercado formal e foi divulgada recentemente.

Segundo especialistas, a recessão leva as empresas a trocar profissionais menos escolarizados por outros mais qualificados, que se sujeitam a ganhar menos e a exercer posições menos sofisticadas.

“Nas crises, os empregadores tentam pagar o menos possível e passam a exigir mais qualificação”, afirma o economista Anselmo Luís dos Santos, da Unicamp.

O movimento de contratações e demissões de assistentes administrativos, responsáveis por funções como atualizar planilhas e cuidar de boletos bancários, ilustra isso.

O saldo de assistentes administrativos com ensino médio completo aumentou em todos os anos entre 2007 e 2014. Esse movimento foi interrompido em 2015, com a eliminação de 12.218 vagas.”

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.