Gilmar Mendes diz que Reforma Política será inevitável após escândalo da Lava Jato, “Não tem pra onde correr”

0

247 – O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, disse que os senadores e deputados estão acossados, expostos e fragilizados em decorrência dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Segundo ele, esta situação torna a realização da reforma política como algo “inevitável” por parte do Congresso Nacional.

“O que me leva a acreditar que o sistema vai mudar? A Lava Jato. Os parlamentares estão num quadro de fragilidade, acossados. Eles estão expostos. Se não é um deputado, é um companheiro do partido, é o partido que é acusado de ter recebido dinheiro”, afirmou o ministro durante uma passagem pelo Rio de Janeiro para conferir a votação do segundo turno das eleições municipais.

Segundo Gilmar, “a única segurança é dar outro perfil ao sistema político”. O ministro disse, ainda, que atualmente “meio Congresso é investigado” e esta situação acaba por sobrecarregar o STF, que acaba por não conseguir decidir com celeridade sobre o foro privilegiado dos parlamentares.

“O STF não tem capacidade de dar a resposta a tantas denúncias, porque houve uma criminalização endêmica (de políticos)”, afirmou.

Gilmar disse, também, que o STF só deverá julgar as denuncias da chapa que elegeu Dilma Rousseff à Presidência da República e Michel Temer como vice no próximo ano.

“O processo está andando na celeridade devida. O ministro Herman Benjamin, corregedor (do TSE) e relator (do processo), está participando de todas as audiências, ouvindo todas as pessoas indicadas, mas estamos ainda na fase de instrução ao processo. A questão que vai se colocar logo no início do julgamento é essa possível separação entre a presidente Dilma e o presidente Temer”, assegurou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.