Gilmar se defende de críticas sobre viajar com Temer

0

A ida de Gilmar Mendes a Lisboa na comitiva do presidente Michel Temer, para o velório do ex-presidente português Mário Soares, que ocorreu nesta terça-feira (10), causou polêmica não apenas devido à sua ausência aos eventos da agenda oficial, mas também porque ele é o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e deve julgar, neste ano, a cassação da chapa Dilma-Temer, acusada de abuso de poder político e econômico para conquistar a reeleição em 2014.




No entanto, Gilmar Mendes falou com o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, e disse não ver conflito de interesse em fazer parte da comitiva do governo.

“O que é julgado é julgado publicamente. (A viagem na comitiva) Não tem nenhuma influência (no julgamento). No TSE, estamos conversando com todo mundo, organizando seminários, discutindo reforma política, conversando sobre reformas institucionais para o Brasil”, disse o ministro.




Sobre o não comparecimento ao funeral, Gilmar justificou dizendo que teve uma crise de labirintite.

“Eu cheguei muito cedo (a Lisboa), tinha de estar lá (no local da cerimônia) às 7h30, e aí nesse frio e tal, eu não consegui chegar (devido à labirintite)”, afirmou Gilmar Mendes.

Ele ainda afirmou que foi convidado a integrar a comitiva pelo próprio Temer, na condição de presidente do TSE. “Tenho relações de companheirismo e diálogo com o Michel há mais de 30 anos, como tenho com muitas outras pessoas, de todas as colorações políticas. São relações institucionais”, afirmou Gilmar.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.