João Doria pode ser processado por apagar grafites; CONFIRA!

0

A polêmica “pintura” dos grafites de São Paulo pode acabar levar o prefeito João Doria (PSDB) ao banco dos réus. O ato de cobrir com tinta cinza murais assinados por grandes nomes do grafite nacional, em avenidas como a Paulista e a 23 de Maio, em ações do programa Cidade Linda, pode ser encarado como dilapidação de bens e direitos de valor econômico, artístico, estético, histórico ou turístico.

O alerta é da professora-adjunta da Faculdade de Direito do Recife e da Pós-Graduação em Direitos Humanos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Liana Cirne Lins. A pernambucana explicou que as ações podem ser enquadradas no parágrafo 1º do artigo 1º da Lei n. 4.717/65 (Lei da Ação Popular).

“O patrimônio é da coletividade”, denunciou a professo marcando amigos de São Paulo. A Lei de Ação Popular, conforme o portal Brasil 247, protege os bens públicos da ação de administradores e pode ser reclamada por qualquer eleitor.

A professora explicou ainda que o prefeito de São Paulo também feriu o artigo 163 do Código Penal: “Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia; quando cometido contra o patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista”.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.