Lula denuncia que imprensa “amiga de Temer” tenta esconder representação contra Moro na ONU

7

Dias atrás, divulgou-se em tom de celebração a noção de que a denúncia de Lula junto ao Conselho de Direitos Humanos da ONU sequer fora aceita para um exame prévio num organismo conhecido por iniciativas corajosas, que já beneficiaram cidadãos do mundo inteiro, inclusive Julian Assange, criador do Wikileaks. Bobagem.

Como a própria ONU foi levada a esclarecer em comunicado oficial, a denúncia, naturalmente em fase inicial, segue as formalidades de praxe. Não houve, até agora, nenhum julgamento de mérito — nem era o caso.

A acusação foi devidamente registrada na instituição, que deu um prazo de dois meses para uma resposta das autoridades brasileiras. Resumo: ninguém sabe o que vai acontecer daqui para a frente, mas o caso começou a andar, cumprindo uma primeira etapa burocrática nos rituais da entidade. Mais uma vez, grandes jornais brasileiros mostram sua incorrigível capacidade de confundir a realidade com seus próprios desejos.

A pressa em dar por encerrado um caso que sequer havia começado envolve um comportamento fácil de entender pelo espírito vira-lata de parte da elite brasileira. Ela cultiva um temor reverencial por qualquer iniciativa que possa comprometer a chamada “imagem do país” em Miami ou Paris, mas não dispensa a mesma atenção ao que se fala e se ouve na Rocinha ou Osasco.

Nos tempos da censura do regime militar, a imagem externa era uma obsessão permanente dos generais. Compreende-se. Era a partir do exterior que o país respirava uma liberdade oprimida por aqui. Em outra fase da história, num país submetido a lógica opressiva do pensamento único uma denúncia na ONU pode produzir um efeito semelhante.

Neste aspecto, a denúncia de Lula tem um impacto único. Sua fonte não é um líder dissidente, respeitável mas pouco influente, como acontece com a maioria das personalidades que, sem respostas adequadas da Justiça de seu próprio país, vão bater às portas de organismos internacionais.

O caso diz respeito ao mais popular presidente da história do país que abriga a sétima economia do planeta, um chefe de governo cujo partido venceu quatro eleições presidenciais consecutivas e por inúmeras vezes discursou na cerimônia de abertura anual da Assembleia Geral das Nações Unidas. Basta recordar o tom de aberta desconfiança dispensada ao golpe contra Dilma para prever o tratamento que a parcela mais respeitada da mídia internacional pode dispensar ao caso, quando os dados da caçada a Lula forem mais conhecidos.

No Brasil de 2016, os métodos de investigação da Lava Jato, que estão na base da denúncia levada a ONU — são apresentados em ambiente de celebração cívica. Como é inevitável nessa situação, toda crítica é apresentada de forma interesseira como falta de patriotismo e mesmo cumplicidade criminosa.

Qualquer esforço de oxigenar um debate necessário é apresentado como risco e ameaça. Responsáveis pela animação do espetáculo, os meios de comunicação tentam construir um ambiente artificial de unanimidade, no qual uma discussão de base jurídica, que envolve fatos, provas e direitos democráticos, é apresentada como um julgamento de natureza moral, típico para medidas de ódio e violência.

Os brasileiros irão acompanhar com imenso interesse as explicações do governo Temer sobre episódios mencionados na denuncia, como a condução coercitiva de Lula e a divulgação de um diálogo com Dilma Rousseff gravado de forma ilegal. Num ambiente onde os direitos democráticos estão preservados, é complicado ganhar tudo no grito.

Mesmo considerando que a ONU é um organismo formado por 195 países, com interesses econômicos e diplomáticos que tem influência decisiva na tomada de suas decisões, o que não permite apostar de saída num resultado favorável, é fácil entender o receio vira-lata diante do caso, certo?

você pode gostar também Mais do autor

7 Comentários

  1. click here now Diz

    I simply want to say I am just newbie to blogging and site-building and seriously enjoyed you’re page. Probably I’m likely to bookmark your website . You surely come with incredible articles and reviews. Thanks for sharing your website.

  2. Atento Diz

    Não sei se tu és um imbecil porque acreditas nisso ou és um imbecil porque mesmo sabendo que é mentira ajudas a caluniar Lula!

  3. Syssa g m Diz

    Não existe resposta para idiotas imbecil e analfabeto politico.Pior que rico é pobre que acha que é rico, ta comendo capim e rotando caviar, só rindo.kkkkkkk

  4. Andrew Diz

    Mais um jornaleco de esquerda tenta do defender o molusco, Lula vai pra cadeia vcs acham que. a ONU vai esquentar a cabeça com político corrupto.

  5. Pedro Paulo de Andrade Neto Diz

    Ele o Lula pode ter sido o mais popular, discursado na ONU etc, mas foi o mais mentiroso e corrupto presidente que este país já teve, ou já houve neste país

  6. Pedro Paulo de Andrade Neto Diz

    Ele o Lula pode ter sido mais popular, discursou na ONU, mais foi o presidente mais corrupto que já houve neste país

    1. Atento Diz

      Não sei se és um imbecil porque acreditas nisso ou és um imbecil porque mesmo sabendo que é mentira ajudas a caluniar Lula!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.