Moro foi decisivo no impeachment de Dilma, diz Cardozo; VEJA!

2

Ex-ministro da Justiça e responsável pela defesa de Dilma Rousseff na ação de impeachment, José Eduardo Cardozo sustenta que o impedimento da petista foi “propulsionado” por um ato ilegal: a divulgação de áudios de conversa da presidente. Agora procurador do município de São Paulo, Cardozo foi enfático ao destacar o papel do juiz Sérgio Moro no afastamento de Dilma, afirmando que suas decisões interferem nos processos políticos.

“Acredito que isso [a imparcialidade de Moro] tem que ser examinado de uma forma muito criteriosa. Se realmente as coisas se confirmarem que para alguns a lei vale e para outros a lei é só sorrisos [referência à foto em que Moro aparece sorrindo com Aécio em evento], acredito que efetivamente vai mal a coisa.”

As informações são da Folha de S.Paulo.

“É um juiz que teve um papel muito importante no processo do combate à corrupção no país. Eu o considero uma pessoa tecnicamente muito preparada, mas também sou crítico de algumas decisões dele. Eu nunca falei isso, mas em certos momentos me parece que o juiz Sergio Moro decidiu questões que efetivamente ultrapassaram a legalidade.

Se os áudios [conversa entre Dilma e Lula sobre o termo de posse de sua nomeação para a Casa Civil] envolviam indícios de crime, teriam que subir pro Supremo em sigilo, segundo a lei. Se não envolviam, teriam que ter sido incinerados. Moro disse que não envolviam indícios de irregularidades, então, se não envolviam, ele não poderia ter divulgado conversas privadas. Isso ofende claramente a lei, ofende claramente a Constituição.

Por isso que eu, embora afirme que o juiz Sergio Moro tem um papel importante no combate à corrupção, há decisões dele que podem ser objeto de uma profunda crítica, especialmente quando elas interferem também nos processos políticos.

Nesse caso [divulgação das conversas entre Dilma e Lula] um dos fatores que impulsionou e propulsionou o impeachment foi a divulgação desses áudios feita em total desconformidade com aquilo que a legislação brasileira determina

você pode gostar também Mais do autor

2 Comentários

  1. Robson Diz

    Cardozo, o que foi decisivo foi a sua incompetência como ministro da justiça, queria ver se fosse Eugênio Aragão, se moro e sua trupe faria essa festança contra Dilma e Lula

  2. Ivete Diz

    Infelizmente o dr. Cardoso, quando ministro deixou a PF, especialmente do PR e MPF, cometerem crimes contra a soberania nacional e o completo desrespeito à presidenta Dilma, conforme as gravações das piadas de mau gosto dos delegados federais dá lava jato, além do próprio juiz moro, que deu apelido a lula de “nine”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.