Para preservar dignidade, amigo de Temer que teria recebido mala cheia de dinheiro, pede para deixar governo

1

Assessor direto e amigo de cinco décadas do presidente Michel Temer, José Yunes entregou nesta quarta-feira (14) uma carta pedindo demissão do cargo, segundo informações da Secretaria de Imprensa do Planalto.

A carta foi motivada pela pré-delação do o ex-vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Odebrecht Cláudio Melo Filho, que afirmava que a empreiteira entregou R$ 4 milhões no escritório de José Yunes, em São Paulo, destinado ao atual chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

No texto, Yunes alega que a demissão irá preservar sua dignidade. O ex-assessor cita, ainda, que ultimamente viu seu nome “jogado no lamaçal de uma abjeta delação”.

“Repilo com força de minha indignação essa ignominiosa versão”, se defendeu.

você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. Sue Diz

    PRESERVAR A DIGNIDADE DA MALA DE PROPINAS???

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.