REVOLTA: Doria anuncia que irá vender a maior biblioteca pública da América Latina; CONFIRA!

8

São Paulo possui uma rede composta por 107 bibliotecas públicas – entre temáticas, de bairro, centrais, ônibus biblioteca e bosque de leitura. Trata-se do maior sistema de bibliotecas públicas da América Latina, recebendo cerca de 4 milhões de consultas por ano. Todo esse sistema pode, em breve, deixar de ser público e de ser administrado pelo poder municipal. O secretário municipal de Cultura da gestão João Doria, André Sturm, anunciou na semana passada que passará o controle de ao menos 52 bibliotecas, além do Centro Cultural São Paulo (CCSP), para as mãos de Organizações Sociais (OS).




“Para poder contratar artistas tem que fazer uma série de procedimentos. É muito complexo a Cultura ligada na administração direta”, disse o secretário em entrevista coletiva.

Bibliotecários e outros profissionais ligados à área reagiram e já marcaram uma mobilização contra a entrega das bibliotecas às empresas. Pelo Facebook, foi marcado o “Abraçaço no CCSP contra a privatização das bibliotecas”, para o próximo dia 25, que já conta com mais de 1200 pessoas confirmadas.




Ainda que as Organizações Sociais não possam visar o lucro em suas administrações, os profissionais alertam para o risco de precarização do sistema como um todo, além do risco de interferência na independência cultural dos equipamentos.

“Com a privatização, as Organizações Sociais seriam responsáveis pela gestão do sistema resultando em precarização das condições de trabalho, bem como dos serviços oferecidos e ameaçando a qualidade e a independência da proposta cultural”, afirmam no texto de descrição do evento na rede social.

você pode gostar também Mais do autor

8 Comentários

  1. Holmes O investigador Diz

    Privatizar bibliotecas não tem nada a ver com esquerdismo ou direitismo, mas com ignorância!

  2. Edu Diz

    Esses sites esquerdistas….soltam noticias e não vão ao mérito da questão. Morram de inveja do melhor prefeito do Brasil. Mortadelas

    1. Vasco Diz

      DÁ UM TEMPO PQ ELE NÃO SE CONCENTRA EM TERMINAR COM A CRAKOLANDIA E O AQUÁRIO DE ESGOTO QUE VIRA SÃO PAULO QDO CHOVE ENTRE OUTRAS COISAS REALMENTE RELEVANTES….

    2. Célia Diz

      O sr Doria é um ignorante, primeiro tira obras de artistas que alegram a cidade que foi premiada como a melhor cidade em arte urbana. Pintar de cinza é limpar prato para as pixações que seguramente virão. Agora quer entregar as bibliotecas p OS….é o fim do conhecimento. Frequentei na juventude a Biblioteca Mario de Andrade, que me ajudou muito em construir arcabouços literários, com ótimas bibliotecárias sugerindo livros, um espaço atrativo paea estudo e leituras. No mundo todo as bibliotecas são publicas, aqui caminhamos para trás.

  3. Edu Diz

    Esses sites esquerdistas….soltam noticias e não vão ao mérito da questão. Morram de inveja do melhor prefeito do Brasil. Mortadelas

  4. ricardo Diz

    NADA PERTENCE AO GOVERNO, TUDO PERTENCE AO ESTADO
    A ideia de que um determinado governo pode ou deve dispor livremente dos ativos do Estado é contrária aos conceitos básicos da boa Governança e do Planejamento Estratégico.
    Os ativos do Estado (e não do governo), têm como principal razão possibilitar no curto, no médio e no longo prazos a execução das estratégias pensadas para determinada área e/ou período, maximizando seus resultados, a fim de atender os interesses do Estado nacional, dentre os quais salvaguardar sua soberania política e econômica, tendo como cenário a evolução da Ordem Mundial (Geopolítica não trata necessariamente de teorias de conspiração).
    Sendo assim, é urgente que:
    – os legisladores revejam as circunstâncias e autonomia para a alienação de ativos do Estado;
    – o TCU, o CGU e demais órgãos envolvidos com a defesa dos interesses do Estado redobrem os esforços e o rigor, quando se tratar de acordos que de algum prejudiquem o direito do Estado brasileiro sobre os seus ativos, incluindo aí suas reservas minerais, territoriais, tecnologia desenvolvida e sua biodiversidade;
    – a sociedade civil organizada deve construir uma pauta em torno da questão das condições para a alienação desses ativos, a partir do que seriam desenvolvidas propostas para a criação de Legislação específica que regulamente o assunto.

  5. Neri Fernando S Diz

    Dória! Alice eu bem que te disse … você vota mas ele te fode!!!

  6. Lando carlos Diz

    Organizações sociais e uma rede de corrupção

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.