CARTA MARCADA? Bancada do Roda Viva com Bolsonaro só terá jornalistas da mídia tradicional

Jair Bolsonaro (PSL) será o último presidenciável das eleições de 2018 a ser entrevistado pelo programa Roda Viva, da TV Cultura. Para o deputado, será uma oportunidade de aparecer na mídia – seu programa no horário eleitoral terá apenas 17 segundos. Para isso, o candidato terá uma bancada dócil para entrevistá-lo.

Segundo a revista Exame, participarão da bancada Sérgio Dávila, editor-executivo da Folha de S.Paulo; Thaís Oyama, redatora-chefe da revista Veja; Maria Cristina Fernandes, colunista do Valor Econômico; Leonencio Nossa, repórter especial do jornal O Estado de S. Paulo. O jornalista mais crítico é Bernardo Mello Franco, colunista do jornal O Globo.

É uma repetição da entrevista de Geraldo Alckmin, onde só haviam jornalistas da mídia tradicional e o tucano não foi contestado nenhuma vez pelos entrevistadores. Bolsonaro pode não ter a mesma entrevista mansa, mas ainda assim será uma situação muito diferente da enfrentada pelos candidatos Guilherme Boulos (Psol) e Manuela D’Ávila (PCdoB).

Relacionadas

Na entrevista com Manuela, além das 63 interrupções sofridas pela candidata, estava na bancada o presidente da Sociedade Rural Brasileira, Frederico d’Avila, ligado ao programa de campanha de Geraldo Alckmin. Na edição com Boulos, estava o advogado e analista de mídia Fábio Wajgarten, um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro.

Antes do programa, o candidato deve se reunir, em São Paulo, com a advogada Janaina Paschoal para saber se ela aceita ou não o posto de vice na chapa do PSL. Com a preocupação de Janaína sobre se mudar para Brasília, o PSL considerou um astronauta e até um príncipe para a vaga. Bolsonaro já recebeu duas negativas a convites feitos para o posto de vice.

CLICK POLÍTICA com informações de Revista Fórum

você pode gostar também Mais do autor