CONSTRANGENDO LULA! Carmén Lúcia faz discurso pro Jornal Nacional, ‘ninguém pode desacatar a Justiça’

No momento em que a prisão após decisão em segunda instância voltou ao debate, motivada pela condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no último dia 24, a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, declarou nesta quinta-feira (1º) que é possível discordar e recorrer de uma decisão judicial pelos meios legais, mas não é possível desacatá-la.

“Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial pelos meios legais e nos juízes competentes. O que é inadmissível e inaceitável é desacatar a Justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do direito não é Justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, declarou a presidente no plenário da Corte, sem fazer referência a Lula ou citar nenhum caso específico.

Relacionadas

Lula foi condenado em segunda instância, pelo TRF-4, em Porto Alegre, por unanimidade. Após a decisão da Justiça, Lula afirmou que os desembargadores que o julgaram formaram um “cartel” para condená-lo por 3 a 0. O PT também divulgou uma nota oficial na qual classificou a decisão como uma “farsa judicial”.

Após os petistas subirem o tom das queixas contra a Justiça, o presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), Roberto Veloso, afirmou, em entrevista ao UOL, que as críticas ao julgamento de Lula devem ser “jurídicas” e não, “políticas”.

UOL

você pode gostar também Mais do autor