Dallagnol anuncia ida a Espanha, mas deve tomar cuidado para não encontrar Tacla Duran; SAIBA!

0

POR JOAQUIM DE CARVALHO

O procurador da república Deltan Dallagnol é anunciado como um dos palestrantes do Foro Brasil España, que acontecerá em Barcelona, Espanha, nos dias 23 e 24 de março.

É um evento privado, com ingressos vendidos a 40 euros (cerca de 180 reais) para estudantes e 60 euros (250 reais) para o público em geral.

Segundo a página do Foro na internet, o público-alvo são”estudantes e empreendedores brasileiros e espanhóis, investidores com interesse no Brasil, jornalistas, economistas e cientistas políticos.”

É patrocinado pelo Santander, uma das empresas que apareceram na Operação Zelotes. O diretor da área fiscal do banco, Reginaldo Antônio Ribeiro, responde a processo por corrupção.

Na denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, os procuradores registraram que ele comprou decisões favoráveis no CARF – Conselho Administrativo de Recursos Fiscais —, da Receita Federal.

Segundo o MPF, “os atos de corrupção ocorreram inicialmente em 2009 e se renovaram em 2013 e 2014”.

“Envolveram, de um lado, um executivo do Banco SANTANDER, REGINALDO ANTÔNIO RIBEIRO, diretor da área fiscal, e, de outro, os intermediários LUIZ ANTÔNIO PEREIRA DIAS, ANA PAULA UGUCIONE e ANTÔNIO JOSÉ ANDRADE (falecido), além do epicentro da corrupção, EDUARDO CERQUEIRA LEITE — um auditor da Receita Federal então Chefe da Divisão de Orientação e Análise Tributária”, relata a denúncia.

Dallagnol informou no Twitter sua participação no Foro Brasil-Espanha, no dia 10 e março. “Estão abertas as inscrições para o 1º Foro Brasil España. Evento acontece nos dias 23 e 24 de março em Barcelona (Espanha) e tem como objetivo fomentar discussões sobre um “Brasil possível”. Participarei de uma conversa sobre o legado da #LavaJato“, registrou ele, com o link para sua página no Facebook, em que dá detalhes do evento.

No Facebook, ele divulga o vídeo com uma chamada para o Foro, na qual aparece a pergunta “O Brasil tem jeito?”, seguida de imagens do Carnaval e do futebol. “O Brasil pode ser muito mais”, sentencia a peça publicitária, com imagens dos protestos nas ruas, em que se destaca a palavra “corrupção”.

No fim, com imagens de favela e de praias do Rio de Janeiro, convida: “Não perca a oportunidade de ajudar a construir um Brasil melhor para todos. Nos dias 23 e 24 de março de março de 2018 em Barcelona 1o. Foro Brasil-Espanha”. Neste trecho, as imagens são da belíssima cidade de Barcelona.

Dallagnol fez a postagem talvez esperando elogios, mas recebeu muitas críticas. “Certamente discutirão o plano do Brasil colônia, o sonho de consumo dos procuradores e juízes GOLPISTAS. Grandes vira latas e grandes picaretas. Vão, e que por lá ou pelo inferno, fiquem”, escreveu um seguidor, com um meme que trata do acordo que obrigará a Petrobras a pagar nos Estados Unidos indenização 6,5 maior do que o dinheiro recuperado pela Lava Jato.

Outro avisa: “O senhor vai ser vaiado, com certeza.”

Como Espanha é o país do advogado Rodrigo Tacla Durán, os internautas logo fizeram a associação. “Tacla Durán vai?”, perguntou um seguidor de Dallagnol.

A internauta Daniela Faria postou apenas: “Tacla Duran, Tacla Duran, Tacla Duran, Tacla Duran, Tacla Duran”.

Dallagnol viajará para Espanha a convite dos organizadores e, como o evento é cobrado, deve ter cachê, cujo valor não revela.

Se considerar que, no evento, representará o Ministério Público Federal, poderá ainda reivindicar diárias.

O Foro começa numa sexta-feira, dia útil. Ele vai faltar do serviço público ou estará lá em missão oficial? Se for em missão oficial, embolsa algumas diárias.

Chama também a atenção que Dallagnol irá para a Espanha depois que os procuradores faltaram ao interrogatório de Rodrigo Tacla Durán em um tribunal de Madri, no dia 4 de dezembro passado, marcado a pedido da Lava Jato.

Segundo noticiado, o advogado Rodrigo Tacla Durán foi, mas nenhum procurador de Curitiba compareceu.

Em Barcelona, cerca de 400 quilômetros de Madri, Delta Dallagnol terá a companhia mais brasileiros como palestrantes, entre eles o pré-candidato a presidente Ciro Gomes e José Eduardo Martins Cardoso, que foi ministro da Justiça no governo Dilma Rousseff.

“O Brasil tem jeito?”

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.