JUSTIÇA TUCANA? Julgamento de Richa por estadia em Paris com dinheiro público é adiado pela terceira vez

Do Paraná Portal

A 4ª Câmara do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) adiou pela terceira vez, nesta terça-feira (17), o julgamento do recurso do processo em que o ex-governador e pré-candidato ao Senado Beto Richa (PSDB) e sua esposa, Fernanda Richa, foram condenados a restituir verbas utilizadas em uma estadia em Paris, em 2015. Desta vez, o motivo foi a licença da presidente do colegiado que retorna para as atividades a partir da próxima quarta-feira (25). Agora, o processo deve voltar para pauta no dia 31 de julho.

O processo aguarda o voto da presidente da 4ª Câmara, desembargadora Regina Helena Afonso de Oliveira Portes, que pediu vista para analisar o recurso desde que a relatora do caso, desembargadora Astrid Maranhão, votou pela manutenção integral da sentença do juiz Roger Vinicius Pires de Camargo Oliveira, no último dia 26 de junho.

(…)

Relacionadas

De acordo com os autores da ação popular, a expectativa é que a condenação em primeiro grau seja mantida e que o ex-governador seja obrigado a devolver o dinheiro público. Neste caso, os desembargadores podem se pronunciar sobre o eventual crime contra o patrimônio público, o que poderia impedir a candidatura de Richa ao Senado por se tratar de crime tipificado na Lei de Ficha Limpa.

(…)

Em outubro de 2015, Richa passou o fim de semana em um hotel cinco estrelas em Paris, às custas do estado. Quatro pessoas, incluindo o governador e a esposa dele, Fernanda Richa, que era secretária de Desenvolvimento Social na época, ficaram no hotel Napoléon, em uma das regiões mais luxuosas de Paris, onde a diária custaria cerca de 250 euros por pessoa — por volta de R$ 1.000.

(…)

você pode gostar também Mais do autor