Para Celson Amorim a maior desobediência civil é Lula liderando as pesquisas para presidente; SAIBA!

O diplomata e ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Celso Amorim, participou do programa “Brasil Primeiro” nesta semana na TV 247, onde concedeu uma entrevista ao também ex-ministro Aloizio Mercadante.

O ex-chanceler faz um balanço do xadrez envolvendo Rússia, China e EUA, além de apontar a situação caótica do Brasil. Ao falar sobre Lula, ele acredita que, só com o respeito à voz do povo, o País irá recuperar sua unidade.

Celso Amorim visitou o ex-presidente Lula recentemente e classificou, na entrevista, como “inacreditável” o seu cárcere. “Tem gente me pergunta mundo afora: como foi permitido que prendessem o Mandela brasileiro?”.

Relacionadas

“É claro que sua prisão faz parte de todo um esquema do golpe, que tem a ver com o realinhamento estratégico, principalmente com o pré-sal”, denuncia Amorim.

Dando sequência à narrativa do golpe, o ex-ministro é enfático ao dizer que é preciso combater a corrupção, mas não causando um estrago no País. “Não há motivo para destruir as empresas, como ocorreu no Brasil. Houve a preocupação em aniquilar todos os instrumentos de projeção internacional. É muito triste, vai dar trabalho reconstruir, mas nós vamos”, acredita.

Ao falar sobre o futuro do Brasil, Amorim enfatiza que não se pode desrespeitar princípios básicos. “A maior desobediência civil é manter Lula liderando as pesquisas, é preciso ficar nítido que, só com o respeito à soberania popular, é que vamos reconciliar o País”, conclui.

EUA, China e Rússia

você pode gostar também Mais do autor