PF acha documentos de empresas portuárias com sócio de amigo de Michel Temer; SAIBA!

Relatório da Polícia Federal (PF) sobre as investigações da operação Skala aponta que o sócio do coronel João Batista Lima Filho, Carlos Alberto Costa, guardava em casa – dentro de um depósito/maleiro e no closet de um quarto de bebê -, contratos, aditivos contratuais e receitas financeiras sobre as empresas portuárias Rodrimar, Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e Libra.

A operação Skala, deflagrada em março último, chegou a prender amigos do presidente Michel Temer, entre eles o próprio coronel Lima e o advogado José Yunes, e apura a prática de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Relacionadas

Segundo as investigações, em troca de propina, Temer teria assinado decreto, em maio do ano passado, que ampliou de 25 para 35 anos os prazos dos contratos de concessão e arrendamento de empresas que atuam em portos, permitindo que eles possam ser prorrogados até o limite de 70 anos.

De acordo com o blog da Andréia Sadi, no portal G1, o relatório da PF descreve o material apreendido durante a execução dos mandados de busca e apreensão da operação Skala. Além dos amigos de Temer, empresários ligados ao setor portuário também foram alvo da operação.

você pode gostar também Mais do autor