Primo que Aécio sugeriu matar vai responder por posse ilegal de arma

Frederico Pacheco, primo do senador Aécio Neves (PSDB), vai responder a processo por posse ilegal de arma de fogo na 12ª Vara Criminal de Belo Horizonte (MG). Nas buscas realizadas em maio de 2017 na sua fazenda, em Cláudio, cidade do interior de Minas Gerais, a Polícia Federal encontrou uma carabina calibre .38 e munições. Pacheco não apresentou documento para comprovar a posse regular da arma.

Se o primo de Aécio Neves não tivesse sendo processado, o Ministério Público poderia, no oferecimento da denúncia, propor a suspensão da ação, conforme prevê a Lei nº 9.099, que criou o juizado especial criminal. Mas, com a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) que, por unanimidade, transformou Aécio em réu na ação penal baseada na delação da JBS, Pacheco passou também a ser processado, situação que inviabiliza a suspensão do processo no caso da posse ilegal de arma de fogo.

Relacionadas

A defesa de Pacheco até tentou desmembrar por não ter foro privilegiado. Mas os ministros defenderam que os fatos investigados no inquérito estão interligados e que deveriam ficar no âmbito do STF, negando o desmembramento.

CLICK POLÍTICA com informações da Coluna Expresso

você pode gostar também Mais do autor