PROVAS ROBUSTAS: Temer pode ser preso assim que deixar o cargo que usurpou de Dilma

O clima entre os procuradores que participam de investigações envolvendo Temer e MDB é de muita animosidade com relação a Temer, informa Mônica Bergamo em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo. Alguns desses procuradores já falam abertamente que o emedebista poderá sofrer medidas cautelares assim que deixar o cargo, em 2019, e perder o foro privilegiado. As denúncias contra Temer foram suspensas por decisão da Câmara dos Deputados.

Amigos do presidente como José Yunes, o coronel João Baptista Lima Filho e o ex-ministro Wagner Rossi já chegaram a ser presos temporariamente no âmbito dos mesmos inquéritos.

Relacionadas

Antonio Claudio Mariz de Oliveira, que defende Temer, diz ter certeza de que, a partir de janeiro do próximo ano, “começará uma ativa e intensa ação persecutória, de investigação, do Ministério Público Federal e da Polícia Federal” sobre o presidente.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

você pode gostar também Mais do autor