REVOLTADA? ‘Não sou coitadinha coisa nenhuma’, diz Marina Silva

0

Blog de Jamildo:

A pré-candidata à Presidência Marina Silva (Rede) rebateu, em entrevista à Rádio Jornal nesta sexta-feira (14), uma declaração da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), nas eleições de 2014, sobre quem se sente coitadinho, não pode ser presidente. Em um tom de desabafo, a ex-senadora negou a pecha de “coitadinha” quando questionada sobre os escassos recursos e tempo de TV e rádio que terá acesso caso não consiga a aliança com outros partidos.

“De fato eu não tenho recursos. (…) Não sou coitadinha coisa nenhuma. Sou uma mulher alfabetizada aos 16 anos, que teve cinco malárias, três hepatites e duas leishmanioses”, disse Marina, lembrando de sua trajetória e reforçando que a internet terá o papel de difundir seu nome para os eleitores em detrimento dos 10 segundos de propaganda que terá direito.

Apesar disso, a ex-ministra disse não ter “mágoa” de Dilma. “Mágoa não. Eu, graças a Deus, tomei uma decisão: prefiro sofrer uma injustiça do que praticar uma injustiça. A gente banca uma escolha que a gente faz”, disse.

A ex-senadora reclamou que sofreu com a campanha de Dilma pelo questionamento da viabilidade do seu governo se assumisse o Planalto em relação ao relacionamento com o Congresso. “João Santana com aquele dinheiro roubado com caixa 2, fez aquele filme que, como a gente só tinha 37 deputados, a Dilma dizia que eu seria impichada. Não é quantidade (de partidos), é a capacidade de dialogar, de conversar”, disse.

Marina Silva avaliou ainda que o atual presidencialismo de coalizão está superado e que o que vai prevalecer é o “governo com base no programa”. “Esse presidencialismo que acha que vai aprovar as coisas no Congresso na base do toma lá dá cá, já acabou”, disse.

Para a presidenciável, o que deveria ser considerado o maior ativo nessas eleições é o não envolvimento em escândalos de corrupção desvendados pela Lava Jato em comparação. “A Lava Jato mostrou quem é quem no jogo do bicho”, disse. “Isso deveria ser considerada a maior riqueza”, disse.

Questionada sobre a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, Marina Silva disse que “ninguém precisa ficar tripudiando de alguém que esteja cumprindo sua pena”.

“Justiça não é vingança, é reparação”, afirmou, acrescentando que não pode haver “dois pesos e duas medidas” no sistema judiciário e que sua campanha não será contra ninguém e sim um “movimento a favor do Brasil”.

“Eu quero chegar a Presidência e não ter que dar satisfação a quem tem dinheiro. Não vou perseguir quem não me apoiou. Eu quero fazer um governo para unir. É botar uma pessoas que não têm ódio no coração”, afirmou.

A presidenciável está em agenda em Pernambuco para o lançamento dos pré-candidatos ao governo e Senado pela Rede Júlio Lóssio, Pator Jairinho e Antonio Souza, respectivamente.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.