Temer fica aliviado após demissão de Segovia do comando da PF

A urgência eleitoral fez Michel Temer ficar menos resiliente com os desgastes em seu governo, segundo seus auxiliares sobre a decisão do ministro Raul Jungmann, titular da pasta extraordinária da Segurança Pública, de trocar o comando da Polícia Federal, demitindo o delegado Fernando Segovia nesta terça-feira (27).

A inabilidade de diretor da PF ao afirmar que o inquérito que investiga Temer poderia ser arquivado e que o delegado responsável pelo caso poderia ser punido foi considerada imperdoável pelo emedebista e seus ministros próximos, pois jogou suspeição sobre o presidente. Segundo esses interlocutores, sua demissão era certa.

Relacionadas

Temer quer evitar desgaste popular até definir que papel terá nas eleições. A permanência de Segovia se prolongou para esperar o anúncio da criação o ministério comandado por Jungmann e o reordenamento burocrático.

Coluna Expresso

você pode gostar também Mais do autor