UFSC demite corregedor que foi pivô do suicídio do reitor Cancellier

O reitor em exercício da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Ubaldo Cesar Balthazar, afastou definitivamente o corregedor-geral Rodolfo Hickel Prado, de 57 anos.

Responsável pela denúncia que levou à Operação Ouvidos Moucos, da Polícia Federal, em setembro, Hickel retornou à instituição nesta quarta-feira (7) após um período de três meses afastado alegando problemas de saúde. A exoneração será publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União, de acordo com publicação do jornal O Globo.

O reitor chegou a enviar um ofício para a Controladoria-Geral da União (CGU) na segunda-feira manifestando o temor de que a volta de Hickel ao cargo levasse instabilidade à universidade. No documento, Balthazar manifestou a intenção de dispensar o corregedor, mas pediu um parecer da CGU, que não se pronunciou.

Relacionadas

A decisão definitiva de exonerá-lo foi tomada após a publicação da entrevista do corregedor ao Globo, em que Hickel afirma seguir no “intuito de apurar todo e qualquer ilícito. Doa a quem doer.” Ele considerou uma “barbaridade” que o grupo do ex-reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo continue na administração da UFSC e nas fundações onde, segundo ele, estaria “todo o esquema.”

Cancellier chegou a ser preso na Operação Ouvidos Moucos a partir da denúncia de Hickel; dezenove dias após ser levado pela PF, ele cometeu suicídio em um shopping de Santa Catarina.

CLICK POLÍTICA com informações de brasil247

você pode gostar também Mais do autor